Pedreira de Salto de Pirapora

Pedreira


Está Situada no Município de Salto de Pirapora e é um dos principais pontos de mergulho técnico do Brasil


As Pedreiras, como ficaram conhecidas entre os mergulhadores locais, surgiram com o alagamento de uma área de mineração de calcário. As maquinas de extração atingiram há alguns anos um lençol freático, que foi desviado para fora do sitio através de bombas hidráulicas Quando a mina foi desativada, a água acabou por alagar o espaço, criando dois lagos, um com 36 metros de profundidade e a principal com profundidade girando em torno dos 75m. Está ultima, chegou a ter 84m de profundidade,

porem, o a abertura da passagem desta pedreira para uma outra ao lado, seu nível diminuiu rapidamente.

No Fundo do lago, as atrações são bombas hidráulicas abandonadas e alguns veículos que foram literalmente jogados ou abandonados. Atualmente são encontrados um santana, corrier, Kadett e um fusca. A fauna sub não é muito rica, porem durante os mergulhos, são vistos alguns cascudos e tilápias nadando pelos paredões rochosos. Arvores submersas são o ultimo item da lista de elementos que compõem a paisagem subaquática das Pedreiras de Salto de Pirapora

Para mergulhadores paulistanos, foi a realização de um pequeno sonho: um ponto de mergulho interessante, a menos de duas horas de distancia de casa e com boa visibilidade. Entretanto nem tudo é perfeito. Temos assistido, nesses poucos meses em que as Pedreiras de Salto de Pirapora se tornaram populares entre os mergulhadores, um festival de negligencias ás regras de segurança do mergulho.

Nota: Infelizmente desde o dia 19/03/2012, a pedreira encontra-se fechada, e com o mergulho proibido no local. O motivo para tal, foi a morte de dois mergulhadores no dia 11/03/2012. Oficialmente não se sabem as causas, mas análises primárias indicam negligência por parte dos mergulhadores acidentados.







0 comentários:

Postar um comentário

:O E VOCÊ, :O OQUE FARIA HOJE SE FOSSE PREFEITO DE NOSSA CIDADE? 8|

Publicado por Salto De Pirapora em Domingo, 28 de fevereiro de 2016